Grupo Maria Déia

O Grupo Maria Déia surgiu mais ou menos no final de 1972 (a primeira apresentação do grupo data de meados de 1974), entre Niteroi e Rio de Janeiro, como grupo vocal e instrumental de música acústica, em meio a uma onda gigantesca de música pop que dominava o período dos Anos 70.

 

As rádios brasileiras naquele tempo transmitiam mais de noventa por cento de música em língua inglesa, além disso boa parte da música popular brasileira da época imitava o modelo musical popNão obstante, fora do circuito das televisões e rádios, além da atenção da mitomania musical promovida pela grande maioria dos jornalistas em favor de gravadoras, existia um fluxo de produção independente que partia dos músicos, que, como podiam, encontravam canais de divulgação do que produziam. Fazíamos parte desse fluxo. Por que Grupo Maria Déia? Escolhemos o nome Maria Déia, que era o nome de batismo da famosa Maria Bonita, mulher do cangaceiro Lampião, para demonstrar nossa disposição de fazer música de resistência, seja no sentido artístico, seja no sentido político. 

 

A formação instrumental do Grupo Maria Déia incluia violões de seis e doze cordas, cavaquinho, bandolim, charango, guitarra portuguesa, violas caipiras em duas afinações, contrabaixo, flauta transversa e percussão variada. Usávamos também nosso material vocal em coros   e solos em maneira alternada, seguindo mais ou menos a coerência entre os timbres vocais de cada um e os estilos cantados. Às vezes durante os concertos recitávamos textos poéticos relacionados ao repertório, cujo conteúdo necessariamente se colocava em oposiçâo à ditadura militar imposta ao País naqueles anos.

 

Fizemos muitas apresentações entre 1974 e 1982, às vezes como trio, outras vezes como duo, segundo a época e as colaborações. As músicas eram quase todas compostas por Chico Moreira e Alberto de Castro (em 1984 Alberto substituiu o pseudônimo com Alberto Chicayban devido a existência de diversos homônimos nos registros de direitos autorais). Além de Chico e Alberto, que constituiram desde o início uma espécie de núcleo fixo, foram integrantes do Grupo Maria Déia, revezando-se no tempo, Aloysio Iaggi, Nelson Guerchon, Ronaldo Florentino, Luis Duarte e Carlinhos Queiroz. 

 

Gravamos um único Lp, de realização independente, produzido pelos nossos amigos Ailson Solano e Aloysio Iaggi, um dos primeiros integrantes do conjunto. O Lp levou o nome "Grupo Maria Déia" e as gravações, além da primeira mixagem, aconteceram no estudio da Sonoviso, no Rio de Janeiro, num prédio anexo à Igreja de Sant'Anna na Praça 11. O disco foi apresentado em 1981 e continha somente algumas das nossas composições e arranjos. O restante daquela produção continua inédito e queremos, de uma maneira ou outra, colocar esse material à disposição do público interessado. 

 

O objetivo desta página é também contribuir para as pesquisas históricas sobre a Música Brasileira nos Anos 70 e servir como estímulo para os jovens músicos à procura de modelos para realizar trabalhos originais e, ao mesmo tempo, alinhados com a herança musical do nosso País. 

 

Na parte MÚSICA do Menu é  possível ver de perto o que foi o trabalho musical do Grupo Maria Déia, através do disco. Mais adiante, na parte de HISTÓRIA,  encontrarão alguns textos escritos por músicos que colaboraram com a experiência do Grupo Maria Déia, além de outras pessoas que puderam testemunhar nossos ensaios e concertos. Na seção IMPRENSA estão colocadas reproduções de noticias de jornais e revistas da época, com respectiva datação, sobre as atividades do conjunto, enquanto que na seção FOTOGRAFIAS se encontram inseridos alguns dos instantâneos de cena que documentam nossa atividade no setor musical e também no campo teatral (compusemos e executamos ao vivo a música de algumas montagens que fizeram parte da História do Teatro brasileiro daqueles anos. Na parte DOWNLOAD do Menu, disponibilizaremos material musical pertencente à carreira do Grupo Maria Déia e documentos, que possam servir a músicos e pesquisadores em geral. O BLOG, ao invés, foi pensado especificamente para sediar debates sobre as alternativas de desenvolvimento da Música Brasileira, bem como sobre experiências de composição, interpretação e análise sem as equívocas barreiras colocadas entre o fazer musical culto e aquele de origem popular; deverá sediar também as trocas de informações sobre as diversas fases históricas da Música Brasileira, sobre os estilos musicais que a formam.

 

Sejam bem-vindos!  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

viola-de-cocho
viola-de-cocho
guitarra portuguesa
guitarra portuguesa
charango
charango
viola de queluz
viola de queluz
viola caipira
viola caipira